quarta-feira, 13 de julho de 2011

Proscênio

Um novo rosto
Uma vida nova em mim
Novas idéias
De um show que não tem fim.
A platéia me observa
E eu sei que sou capaz de a encantar na arte do viver.
Novo roteiro da peça que escrevi,
Meu figurino dos trapos que teci.
É preciso que eu ensaie
O grande vôo que eu alçarei até os céus
Nesse teatro aqui no palco
Eu sinto que sou mais que um mero ator
Do texto que não li.
A maquiagem nesta face
Me faz compreender o que eu sou
E o que ainda serei
No show que há em mim.
Quero fazer o meu papel,
O mais bonito,
Pois em mim encontro a força pra lutar
Eu não vou desistir...

(Musicado por Rodrigo Luiz para o espetáculo teatral “Sinestesia” (2009), da Cialemarte.)

4 comentários:

  1. Gláucio, Gláucio! Ouso dizer que esta foi a coisa mais veraz e autêntica que você já escreveu. Bateu um arrepio na espinha de uma ponta a outra ao fim do verso final! Obrigado por isso, meu amigo...

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito! Simples e eloquente para todos. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Meu grande amigo, fico feliz e emocionado.
    Mauricio Keller
    gan-gyn-goiás

    ResponderExcluir