quarta-feira, 13 de junho de 2012

Presente de Poeta

Esta semana abro o espaço para a queridíssima amiga Eneida Nalini, de cujas mãos e coração recebi o belo texto que ilumina esta página. Obrigado, querida.
Novas facetas de um velho artista
E se sabemos que múltiplos somos
E desse modo, sem temor, no tempo
Vamos nos compondo.
Que seja assim.

Versos de artista, canções, coragem, ilusões
“Vozes” entoadas num tímido violão
Que quer e deseja ressoar.
Que assim seja.

Palavras de outrem tranquilas para
Na memória entrar
Léxico, que meu, vem e vai pra nunca mais.
Papéis, óculos, caneta, boina, ação
E surpreendentemente um violão
“no show que há em nós”
Que assim perpetue

Figura buscando a luz
No palco mentiras-verdadeiras
Escorrendo pelas palavras
De um ator-cantor...
que a música cessa para
brechtianamente apontar e dizer
a deixa de ninguém.
E assim perdure
No corpo, na voz, na palavra
Desse ser que se faz alguém!
            Amém, Amém!
Eneida Nalini
08/06/2012


2 comentários:

  1. Ficou o Bicho!

    Adorei, Glaucio!

    Abração

    ResponderExcluir
  2. Gláucio,
    que possamos perpetuar nossas palavras e ações, com carinho, com cuidado...lapidando o ser, acima de tudo, lapidando a alma. Continue...brilhe, registre!!! Obrigada, sempre

    ResponderExcluir